terça-feira, janeiro 31, 2006

A Caixa de Pandora II

Conforme disse no meu Post passado, a questão da “abertura” da sociedade a novas realidades, nomeadamente os casamentos de pessoas do mesmo sexo, pode levar a se abrir um Caixa de Pandora com consequências, sociais difíceis de prever.

Em inícios de Novembro passado expus aqui a minha posição, que agora reitero, para que fique clara, atenta as novas investidas do Lobi gay, da Imprensa e do alegado Principio da Igualdade.

A questão de fundo é uma só: a família auto reprodutiva (aquela que se reproduz por si só) tem lugar na nossa sociedade e merece uma protecção especial. Sim ou Não?

Não se trata de discriminação dos Gays (que são pródigos em discursos miserabilistas, que são uns coitadinhos, que ninguém os aceita, etc).
Nem tão pouco por em causa a igualdade de tratamento, como veremos, trata-se somente de saber se o casamento, tal como está, deve continuar, ser modificado ou acabar.

O casamento, e independentemente de considerandos Políticos, Sociológicos, Morais ou Religiosos, foi instituído para, numa visão ultima, se saber quem são os pais dos filhos que as mulheres tem.
Ou seja, como a Maternidade é um acto ostensivo e público, a mulher dá á Luz e, desde logo, é Mãe. Porém, perguntava-se, quem é o Pai?
Como tal era impossível de se saber, o Pai da criança era o marido da mulher. Assim se resolviam os problemas de identidade da criança, de expectativas sucessórias, o enquadramento familiar, etc.
Na esmagadora maioria das sociedades era proibida a poligamia, para que se soubesse sempre quem era o Pai da Criança.

Se a visão da Família, tal como a conhecemos, é alterada, deixando de ser um resultado natural do encontro de dois sexos diferentes e reprodutiva por si mesmo, e passa a ser uma situação criada contratualmente, então o casamento pode ser aberto a pessoas do mesmo sexo.
Se for essa a visão das coisas, não há qualquer razão para que tal não se faça.

Assim, dois homens e duas mulheres têm direito em constituir uma família, que, porém, não se reproduz, por si só.

Porém, a se seguir por essa lógica, há que se ser intelectualmente honesto e perguntar: Porquê limitar esse casamento a duas pessoas? De facto não havendo o problema dos filhos e da identidade dos mesmos, porque reduzir a dita familia o dito casamento a duas pessoas?

Porque não autorizar-se o casamento de três, ou quatro, sete ou onze pessoas, que também se querem casar umas com as outras.

Se o Casamento passa a ser um contrato civil, porque é que esse contrato não é ampliado a tantos os contraentes, quantos as partes decidirem?

E como não há filhos naturais, não há problemas em se saber ou não quem é o Pai ou a Mãe (a única razão natural para limitar o casamento a duas pessoas de sexo oposto), logo podem existir tantos Pais e Mães quantos as partes desejarem.

Se é isso que se pretende, o casamento com esse nome, pura e simplesmente, acaba.

Passa a haver um contrato de união entre duas ou mais pessoas entre si e, graças ao desenvolvimento da genética, tal até deve ser admitido entre pessoas de sexo oposto!

De facto podem existir casamentos colectivos, entre p.e. 5 homens e 5 mulheres todos casados com todos (tipo bacanal legal) pois se uma mulher engravidar, uma simples analise genética diz quem é o pai.

Não existe uma única razão legal para esse contrato não ser instituído.

As únicas razões contra que podem ser lançadas são de mera ordem Moral.

E tudo isto leva-nos a outra questão: será este o Principio da Igualdade que está na Constituição? Ou a igualdade não deverá, obrigatoriamente, respeitar as diferenças?

Terá o Principio da Igualdade sido pensado para igualar o que é, naturalmente, diferente, ainda que não desigual?

Nos dias de hoje, é necessário saber diversificar a nossa actividade profissional. Se algo corre mal num determinado sector, a diversificação assegura que não vamos à falência.

O exemplo vem da Asia. Esta jovem, oportunamente, viu uma possibilidade de negócio, e aproveitou.

Into sim, é uma jovem empreendedora.

segunda-feira, janeiro 30, 2006

Vou a casa, venho já!!!

Quem corre por gosto não se cansa, ou ainda, a qualidade de vida não tem preço.


Uma cidadã inglesa, professora primária de profissão, decidiu trocar de residência. O facto de apenas dar aulas apenas um dia por semana facilitou esta troca.


Agora, para chegar ao seu posto de trabalho, e obviamente para regressar a casa, necessita de apanhar dois autocarros, um avião, andar um pouco a pé e por fim, apanhar boleia. Demora 5 horas na ida para as aulas e cinco horas no regresso a casa.


Mesmo assim, decidiu trocar a sua residência em Londres (Reino Unido) por uma nova casa em Praga (Rep. Checa).


Apesar de gostar o seu país, decidiu manter o seu emprego apenas para manter o contacto e aproveitar para beber um café, de resto prefere viver na sua nova casa.

A Caixa de Pandora I

No passado Sábado o Jornal Público fez notícia de capa com o belo romance entre duas fufas sapatonas, que se amam, se querem casar, mas não podem!
Ora aqui temos mais um exemplo claro do famoso e real Lobi Gay de esquerda trotskista e das suas influências na imprensa.

E os jornalistas não vêm que estão a ser iscos fáceis para se abrir uma caixa de Pandora, e, objectivamente, se cair em atitudes reaccionárias e retrógradas na nossa sociedade, longe, muito longe do liberalismo de costumes, saloio e bacoco, que essa esquerda apresenta.

Esse primeiro passo reaccionário já foi dado, há anos, quando a esquerda cedeu aos bloqistas e aprovou a imbecil e retrógrada Lei das Uniões de Facto que temos (para satisfazer os gays).

Se duas pessoas maiores e vacinadas, estão bem a viver uma com a outra, a dar umas valentes fod*s, sem desejarem qualquer vinculo económico, moral, familiar e amarem a liberdade que se tem em, quando lhes apetecer, acabarem com tal relação sem mais, porque raios a lei lhes vem impor outra coisa e conferir efeitos a uma coisa que as pessoas não querem?

Ou seja se as pessoas se juntam e não se casam porque, exactamente, não querem ter vínculos uma com a outra, por alminhas de quem vem a Lei impor o contrário?
Porque é que a Lei não respeita as livres opções de cada um e lhes impõe consequenciais que ambos não querem?

Estes fervores reaccionários, onde o que é moderno é viver-se junto, mais não são do que hipocritamente se querer esconder as necessidades de aprovação social de uma situação.

Pessoalmente, e exactamente por amar a liberdade de escolha, vejo nessa modernismo social dum vómito da nossa esquerda.

Há anos uma mulher sentou-se á minha frente e disse. “È verdade que uma pessoa a viver com a outra após dois anos passa a ter direitos e deveres mútuos?
Lá lhe disse que sim, ainda que lhe explicando os limites e como é que as coisas funcionavam.
Mal me calo, responde ela imediatamente: “Bem tenho mais dois meses para viver com o tipo. Depois é pô-lo a andar para não fazer dois anos!”

A isto chama-se a Lei ser mais Papaista que o Papa, ou impor direitos e deveres a quem nunca os pediu.

Ora está lógica de modernismo social que varre a Europa (e o Canadá) sobre os casamentos das fufas e dos mariconcios, também terá os seus custos, enquanto não se compreender que a evolução dos costumes não significa a derrogação dos mesmos.

Mas, sobre isso, postarei amanhã.

sexta-feira, janeiro 27, 2006

Crise? Crise? Onde estás?

De acordo com o Instituto de Estatisticas Espanhol, as dormidas de portugueses na hotelaria espanhola aumentaram 7,7% em 2005 face a 2004, para um total de 2,8 milhões, tendo crescido a um ritmo mais forte do que o número de hóspedes, cujo aumento foi de 5,5%, para 1,08 milhões.
Desde 2001 as dormidas de portugueses na hotelaria espanhola aumentaram 23,3%, enquanto o crescimento do número de hóspedes foi de 19,9%. Estes dados mostram um aumento da estada média dos portugueses na hotelaria espanhola, que passou de 2,54 pernoitas em 2001 para 2,61 no ano passado.

O crescimento do mercado português, tanto em número de hóspedes quanto de dormidas, foi superior ao aumento médio dos mercados internacionais para a hotelaria espanhola, levando a um ligeiro reforço da sua participação.
Dados divulgados na semana passada pelo Instituto de Estudos Turísticos (IET) do Ministério espanhol da Indústria, Turismo e Comércio indicavam que Espanha recebeu no ano passado 2,04 milhões de turistas portugueses, mais 6,1% que em 2004.

Vira o disco, e toca o mesmo!!!!!!!

Escutas telefónicas - Episódio nº ....

A questão das escutas telefónicas mais parece uma telenovela mexicana de baixo orçamento. Ora está na ordem do dia, ora o sinal vai abaixo.
O novo episódio desta saga foi protagonizado pelo nosso Presidente da República ainda em exercício, Jorge Compaio. Na abertura do ano judicial, mais uma vez atacou o sistema vigente, e defendeu que as escutas telefónicas devem ser uma excepção e não a regra, e além disso, só devem ser aplicadas em determinados crimes.
De imediato, todos os gatunos, ladrões, assassinos, sequestradores e afins aplaudiram de pé tal intervenção.
Numa altura em que os criminosos entram na era digital, no sec. XXI, os políticos portugueses querem que as forças policiais entrem na idade da pedra. Só falta armar os polícias com paus, e pedirem para implorarem uma confissão ao mau da fita. Pois só assim, se conseguirá uma condenação em tribunal.
A prova testemunhal é fraca, e de pouca confiança, quando se chega a julgamento, ou os factos estão distantes no tempo, ou a testemunha tem outros interesses a defender além da verdade; o seu património, a sua integridade física.
Mas uma imagem (vídeo ou fotografia), um texto assinado ou o som das palavras proferidas em determinadas circunstâncias, perdura no tempo, e é de difícil contraprova. Por isso, as escutas são, e devem ser um dos melhores meios de combate ao crime.
A lei portuguesa não é má:
a policia pede ao ministério público e explica porquê, o ministério público promove essa escuta junto do juiz e este autoriza ou não, por um determinado período de tempo, findo esse período se se justificar é efectuado um novo pedido fundamentado e por aí fora. Uma vez efectuada a recolha esta deve ser presente ao juiz o mais rápido possível para ser validada, e fica a constar do processo, ou sendo irrelevante é destruída.
A lei é razoável, quem a interpreta, aplica e devia zelar pelo seu cumprimento é que é de nível rasca.

Toda a gente, pode e deve passível de ser escutado, independentemente da sua posição politica, social ou económica. A única condição é ser suspeito de ter cometido um crime, e obviamente que há efeitos secundários, pois quem entrar em contacto com essa pessoa fica sujeito a que essa conversa seja escutada.
A escuta tanto pode servir para incriminar como para absolver. Mas em Portugal há um medo incrível em que as nossas conversas sejam tornadas públicas.
O problema não está na lei, está em quem a cumpre e devia fazer cumprir. É inadmissível que uma conversa irrelevante para o processo esteja anexa ao mesmo meses após a sua gravação, ou que esteja na posse de um qualquer policia ou funcionário judicial, é inadmissível que o nome de pessoas escutadas mas cujas gravações foram apagadas seja do conhecimento público.
Aí é que está o erro, na desresponsabilização de quem devia zelar pela confidencialidade do processo, mas que a troco de protagonismo, de dinheiro, trica social ou politica deixe tais informações vir a público.

Coragem, Portugueses!|

Por incrível que pareça, a Procuradoria-Geral da Republica decidiu instaurar um inquérito para apurar se existe matéria criminal, nos famosos bigodes colocados nuns quantos cartazes, de candidatos á Presidência da Republica, na zona de Lisboa.

È, no mínimo, delirante e anedótico, tal atitude.

Como se não houvesse nada mais que investigar, nada mais onde deslocar meios humanos para, de facto zelar pela segurança da sociedade, como se umas merdas de uns bigodes, colocados nos focinhos de uns palermas, justificasse tal atitude.

São chocantes estes fretes políticos, e urge efectivamente estabelecer critérios de investigação e oportunidade da mesma, já que os recursos humanos e técnicos não são ilimitados.

È com estas, e com outras, que me vem á memória a mítica frase com que Almada Negreiros terminou o seu Manifesto Futurista as Gerações Portuguesas do Sec. XX, em 1917, e que está mais actual que nunca:

“O povo completo será aquele que tiver reunido no seu máximo todas as suas qualidades e todos os seus defeitos.
Coragem, Portugueses, só vos faltam as qualidades."

quinta-feira, janeiro 26, 2006

Só Boas Noticias

O Irão, afirmou, alto e bom som que vai seguir a sua politica nuclear, que considera estratégica em termos energéticos, o que vindo do segundo maior produtor de petróleo do mundo, faz todo o sentido;

Na Palestina, os meninos bem comportados do Hamas, venceram as eleições.

Israel deve ser um óptimo lugar para se viver e o Mundo está cada vez mais seguro!

Penúria de sentença

O Tribunal de Santo Tirso condenou o Estado português a pagar seis milhões de euros à autarquia, julgando assim "parcialmente procedente" a acção interposta pelo município tirsense que alegou ter sofrido perdas significativas quando da criação do concelho da Trofa.
O juiz, entendeu que aquele é o valor que a autarquia teve de suportar de forma indevida, "por omissão da lei" quando da criação do município da Trofa, pelo facto de ter ficado com um quadro de pessoal sobredimensionado.
Afirma ainda que a AR não teve "a ponderação no que quer que seja das repercussões financeiras e económicas do assunto para o autor - C. M de Santo Tirso, seja na sua organização interna, seja na sua relação com os munícipes que continuariam a ser tirsenses".
É num outro aspecto que discordo da decisão do Juíz, pois na sua perspectiva não entende que os deputados que aprovaram tal lei tenham agido dolosamente para prejudicar a Câmara de Santo Tirso ou para aprovarem lei ilegal.
Refere ainda que, a criação do município da Trofa é decisão constitucional e lícita e está fora de questão co-responsabilizar os senhores deputados pelo pagamento de indemnização.
Mais uma vez, culpa vai morrer solteira.

Caloteiros na montra

A Segurança Social vai publicar, até final de Março, a lista de empresas com dívidas acumuladas.
As condições técnicas estão já reunidas, faltando apenas concluir os contornos legais da operação. Estas empresas deverão receber, entretanto, cartas da Segurança Social a alertá-las para a possibilidade de o seu nome vir a constar da tal lista de divulgação pública.
Através destas cartas, que identificarão os montantes em dívida, a Segurança Social vai «convidar» o caloteiro a regularizar a sua situação, sob pena de ver o seu nome integrar a lista de devedores.

Novo Nome

As notícias do ontem nos jornais e telejornais confirmam: Vítor Constâncio vai solicitar a alteração do nome da Instituição a que preside.

Tendo em conta que :
a) basta cerca de seis anos como quadro superior do banco de Portugal
para se sacar um pensãozita vitalícia (e cumulável com qualquer outra), de cerca de 8 mil Euros mês;
b) a renovação da frota de carros na citada instituição é feita de 3 em 3 anos e em marcas modestas (um BMW série 5, Saabs e Volvos)
c) meros acessores do banco após 5 anos árduo trabalho, tem direito a uma pensão vitalícia (também cumulável) de cerca 3.000 Euros mês;

O Banco de Portugal deverá passar a chamar-se: Mama Nacional.

Como nota de rodapé, estou plenamente convencido que os Partidos Políticos, essencialmente o P.S. e o P.S.D., pródigos como sempre foram a gerir os tachos para os seus Bois, vai ter sérias dificuldades em gerir as próximas listas para deputados, que vão ficar, certamente, às moscas!

A partir de agora o que está a dar é ir para o Banco de Portugal!

Se fossem todos á merda é que faziam muito bem!

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Descubra as diferenças?

Investigação Séria

O Conselho Superior de Magistratura, está a ultimar um inquérito que abriu em meados de Junho de 2005, ao então Sr. Juiz de Circulo de Mirandela, devido ao nome deste ser referenciado como sendo um frequentador, e com privilégios especiais, das extintas Boites de Bragança.

Fontes bem informadas confidenciaram a este aviário que os Srs. Conselheiros encarregues da instrução do dito inquérito mostraram-se espantados com a ingenuidade do citado Juiz.

“Como é que o Sr. Juiz foi Totó ao ponto de não ir descarregar o Stress para longe!” disseram!

De facto, é ponto assente que uma pessoa deve fazer essas coisas, o mais discretamente possível, não só das legítimas como dos invejosos!
Efectivamente o Sr. Juiz devia ter ido aliviar-se ou para Espanha, pois aí não teria riscos de ser arrolado como testemunha nos processo das Mães de Bragança, ou para Lisboa ou Porto, pois aí ia encontrar os seus pares e colegas do foro, e uns cobrem-se aos outros!

O processo foi aberto para se averiguar se existiu conduta deontologicamente inapropriada por parte do Sr. Juiz, face as funções que tem.

Numa perspectiva dogmática tudo gira á volta da simples questão: Tem o Juiz o Direito de ir as Putas, como tem anónimo, o empreiteiro, o jogador de futebol, o empresário, o médico, o professor ou o advogado?
Porém, fontes bem informadas também nos confessaram que a verdadeira razão da abertura do processo pelo Conselho Superior, é que os velhotes dos Conselheiros e Desembargadores querem saber como é que um mero Juiz de Circulo conseguiu privilégios especiais e eles nunca os tiveram!

Dentro do C.S.M. deu-se uma verdadeira guerra pois vários conselheiros e desembargadores disputaram ferozmente o lugar para serem os instrutores neste caso.
Como é obvio, muito se discutiu se as inquirições deveriam ser individuais ou em grupo, se em pé ou sentadas, se por escrito ou orais, se dentro ou fora das boites e, sobretudo, se no horário de expediente dos juízes ou das meninas.

Ao que nos disseram todas as diligências foram orais e dentro do horário de trabalho das meninas, tudo para não sobrecarregar o deficit da Justiça e não se pagarem horas extraordinárias ás meninas oralmente inquiridas.
Foi o melhor inquérito nem que participei”, disse a nossa fonte.

Tudo por amor ao Estatuto dos Srs. Juízes!!

terça-feira, janeiro 24, 2006

Voltemos a assuntos sérios

Agora que acabaram as Presidenciais decidi postar hoje sobre um assunto sério de que gosto, particularmente: Gajas!

E Cheguei a uma conclusão: O Mulherio está cada vez mais seguro de si.

É mais uma questão de anos, e estamos a entrar no Reino do Matriarcado, e se um gajo que é home não se põe a pau (!), bem que somos comidos de cebolada.

Antigamente, era o homem que caía na tentação.

Ou seja, para todos os efeitos nós nem queríamos nada, mas a tipa chegou ao pé de nós e, tal serpente para Adão, levou-nos pelos maus caminhos, pela doce tentação, e quando dávamos pela coisa já lá estávamos, sem termos tido culpa por isso.

Bons tempos! Devido ao Homem ser um animal bicéfalo, parte dos seus comandos eram ditados por uma cabeça que não pensa e, logo, éramos alvo de uma inimputabilidade constante, sempre que encarava-mos a tentação da mulher!

Só que agora tudo mudou. Cada vez temos menos garantias de, quando metermos o pé na poça nos podermos safar com a desculpa que a tipa é que é um pedaço de mau caminho e fomos tentados. Pelo contrário!

Agora Elas, desde que queimaram sutiãs, tomam a pílula e gostam da coisa, passaram a vitimas!

E já vêm com a conversa mole, de que “ele cheirava bem”, “fazia-me rir”, “tinha charme”, “tinha um corpinho rijo e bem feito”, “tinha muita fome, fui seduzida e não resisti”.

E, quem se lixa somos nós, que em vez de comermos somos comidos!

Daí que me lembrei duma notícia que li, há tempos, num jornal gratuito que se dá no Metro: Num Colégio de Toronto, Canadá, uma aluna e três alunos, todos de 15 (!) anos, foram apanhados nos balneários do ginásio, em condutas menos apropriadas.
Ao que se sabe, a rapariga terá praticado sexo oral com os rapazes.

Consequências do acto: os 3 rapazes foram expulsos e a rapariga, após uma suspensão, já voltou às aulas!!!

Agora digam lá, quem comeu quem, ou quem foi comido por quem!!!

segunda-feira, janeiro 23, 2006

Assim se faz televisão

Um incidente menor, ocorrido na noite das eleições presidenciais, que julguei hoje estaria esquecido, ainda faz notícia nos noticiários televisivos.
Manuel Alegre após confirmar que não haveria segunda volta, veio perante as câmaras televisivas comentar os resultados eleitorais. Cinco ou dez minutos depois, ainda com Manuel Alegre a comentar os resultados, José Sócrates, secretario-geral do PS, apareceu na sala de conferências do Largo do Rato, e iniciou a sua própria conferência de imprensa.
De imediato, todos os canais televisivos deixaram de transmitir a conferência de Manuel Alegre e concentram-se em José Sócrates.
MA, e antes dele, os seus apoiantes, veio a público mostrar o seu descontentamento por mais uma desconsideração. JS, já veio pedir desculpas, e afirmar que não tinha conhecimento da conferência de MA. Dificilmente se pode acreditar nele, quando todos os canais televisivos estavam a transmitir a conferência de MA.
Mas o mais curioso, é que, este tema estaria esquecido, não fosse as próprias televisões estarem a tentar arranjar mais uma notícia. Há no entanto que perguntar pela responsabilidade das televisões em todo este episódio.
É certo que JS veio dar a sua conferência no mesmo período que MA, mas também é certo, que compete às direcções dos canais televisivos escolher o que querem transmitir. E no caso concreto, elas escolheram transmitir a conferência de JS em detrimento da conferência de MA, um dos candidatos da eleição que supostamente estariam a cobrir.
Agora ainda tem o despudor de questionar a atitude de JS, que é questionável, mas e a sua própria atitude? e a sua responsabilidade perante o público? Foram os canais televisivos que escolheram ignorar MA, dar preferência a JS. E agora, ainda aproveitam para animar mais os ânimos.
Isto é televisão aos mais alto nivel, seja ele qual for.

Cavaco perdeu!!!

Não, não é engano, Cavaco Silva perdeu as eleições presidências. Pelo menos é o que resulta das declarações dos outros candidatos e seus apoiantes.
Em meados de 2005, não havia candidaturas à Presidência da República, pelo menos, assumidas. No entanto, já não havia dúvidas que o candidato da direita ou centro direita era Cavaco Silva.
Com esta perspectiva aterradora para alguns, começaram a surgir as candidaturas de esquerda. Foram cinco candidatos de esquerda.
A eleição do Presidente, já toda a gente, pouco ou nenhum significado tem, mas quem se apresenta a esta eleição deve no mínimo esclarecer porque é que se candidata. O que é que a sua candidatura trás de novo, ou relevante ao país.
Não foi assim, com os candidatos de esquerda, o motivo comum a todos foi pura e simplesmente derrotar a candidatura da direita. Impedir a vitória de Cavaco Silva.
Em finais de 2005, princípios de 2006, o discurso mudou. O objectivo dos candidatos de esquerda passou a ser, impedir que Cavaco ganhasse as eleições à primeira volta. O benefício que Portugal teria com a vitória de qualquer um dos candidatos de esquerda pouco ou nenhuma relevância tem. Esse tema continua a ser esquecido. Mas obrigar Cavaco a uma 2ª volta, é o grande objectivo de todos os candidatos.
E eleição decorreu a 22 de Janeiro de 2006, e a crueza dos números diz que Cavaco Silva é o Presidente da República eleito, à primeira volta, com 50,59% dos votos expressos.
Em qualquer competição, ou eleição, quem chega em primeiro lugar ou tem mais pontuação, é o vencedor, todos os restantes candidatos, são os vencidos, esta é a lógica dos números. Mas não em Portugal, não na politica. Quem ouviu na noite de 22 de Janeiro, as declarações dos candidatos vencidos e dos seus apoiantes poderá ficar com a ideia de que Cavaco Silva perdeu as eleições.
Os candidatos de esquerda não reclamam a vitória, isso também seria de mais, mas afirmam que Cavaco não ganhou. O argumento é simples; ganhou, mas foi por poucas décimas; fiou longe dos números apontados pelas sondagens; e por aí fora.
Contra esta teoria politica inovadora, não há realidade que resista.
Quem perde, deve ter como lição, que a sua campanha não foi eficaz, e se pretende voltar a candidatar-se, deve mudar de estilo, de orientação. Ora, enquanto em Portugal quem perde não reconhecer essa simples realidade, nada muda, tudo fica na mesma, e para a próxima, serão cometidos os mesmos erros.
O primeiro caminho da mudança deve ser reconhecer onde se errou, e assumir esse erro.

domingo, janeiro 22, 2006

A Desestabilização

Cavaco Silva foi eleito Presidente da República.

Os pseudo analista políticos, que as televisões e rádios destacam doutas analises politicas, conseguiram não compreender o desafio de Portugal nos próximos tempos.

De facto Portugal não necessita de estabilidade politica, pois essa tem-na: há um Governo eleito com maioria absoluta na Assembleia da Répública.

Necessita, sim, é de estabilidade partidária que se afigura como sendo difícil de encontrar naquele partido onde seria de esperar que mais existisse: O Partido Socialista.

Da facto, é a estabilidade interna do P.S. é aquela que vai ditar, não só, a estabilidade do Pais que temos, como, mesmo, o exercício dos poderes do próprio Presidente eleito.

Com a Bomba Alegre, o P.S. entrou em choque.

E Sócrates provou, pela segunda vez consecutiva, ser um inútil e um inepto a fazer escolhas (a escolha desastrosa de Soares, foi um mero seguimento das escolhas desastrosas nas Autárquicas), e está a provar ser um inútil a governar.

Com uma cada vez maior oposição interna, fala-se já em congressos antecipados nos socialistas.

E deixo a pergunta, para entenderem o porquê de ser a estabilidade do P.S. que vai ditar o nosso futuro e o exercício dos poderes do novo Presidente:
Imaginemos o cenário, nada impossível de se vir a verificar, que no próximo congresso socialista Alegre reforça a sua posição, e ganha esse congresso a Sócrates.

O que deve fazer o Presidente?

Deve deixar continuar a governar o Pais um Primeiro Ministro que é afastado de lider do Partido que o elegeu?

Ou antes, deve exonerar o Primeiro Ministro e convocar eleições antecipadas?

Quem será, então, a fonte de desestabilização?

O Presidente, o Governo ou o P.S.?

sexta-feira, janeiro 20, 2006

Afinal a justiça funciona ...... na Turquia

Mehmet Ali Agca, o turco que em 1981 tentou matar o Papa João Paulo II, foi hoje detido em Istambul, horas depois de um tribunal de recurso ter anulado a ordem de libertação emitida no passado dia 12 por um tribunal de primeira instância.


Segundo a televisão NTV, Agca foi detido pela polícia em Kartal, um bairro de Istambul, onde residia desde a sua libertação, há pouco mais de uma semana.

O Tribunal de Recurso decidiu, por unanimidade, anular o despacho de libertação. Os fundamentos da decisão não foram revelados.Ali Agca passou 25 dos seus 48 anos de idade na prisão, 18 dos quais em Itália, após ter disparado contra João Paulo II, na praça de São Pedro, em 13 de Maio de 1981.

Em 2000, Agca foi extraditado para a Turquia, tendo então começado a cumprir a pena a que havia sido condenado pelo assassinato de um conhecido jornalista turco e por dois assaltos a bancos, na década de 1970.

A sua libertação foi decidida por um tribunal de primeira instância, ao abrigo de uma amnistia decretada em 2002 e do cúmulo de penas previsto pelo Código Penal turco.

No entanto, a medida criou vivas reacções no país, levando vários responsáveis políticos a insurgirem-se contra a decisão do tribunal.

O mundo visto pela miopia Americana

E Portugal, como é que vê o mundo?

Serviço público


Vai decorrer este fim de semana (dias 20 a 22 de Janeiro) na Exponor, Leça da Palmeira, Matosinhos, mais uma edição do Expozoo – Salão Internacional de Zootecnia.

Funciona das 10h00 às 20h00, os bilhetes custam € 3,00, e vai incluir uma mostra de porquinhos-da-índia, exibição de cães de busca e salvamento.

Durante o certame é possível adoptar um animal de estimação.
Este aviário não podia deixar passar em claro esta exposição, e convidar todas as aves a largarem o seu poleiro, e bater asas até aos nossos amiguinhos.

O Contra -Terrorismo

Redefinindo da sua politica de dissuasão, a França disse, preto no branco, que se reserva o direito de usar Armas Nucleares, contra qualquer potência regional que ameace a sua segurança nacional com ataques terroristas ou armas de destruição massiva.

A Europa só tem que agradecer, e pena é que não siga o exemplo.

Parece que alguém deixou de ter rodeios e chegou a uma conclusão: O terrorismo só se vence com uma reacção de contra-terrorismo!

Qualquer outra atitude de apelo aos “valores democráticos”, tolerância”, “direitos humanos”., ou afim, que se tenha como a primeira e ultima atitude a tomar contra os terroristas, está votada ao fracasso.

Seria, será, uma atitude antropofagica, da Europa e do Mundo Democrático, que sacrificará a própria democracia se não entender que só se pode ser democrata com quem o é, e respeita a Liberdade.

Por muito que custe, para se acabar com o Mal, ás vezes temos que ser pior que ele.

Evolução das Ideias Politicas

quinta-feira, janeiro 19, 2006


Ainda bem que existe a "Maria" e revistas afins, assim podemos ver os verdadeiros dilemas que afligem a população portuguesa.
Além disso, prestam um serviço público de acompanhamento psicológico.
Vamos ajudar. Qual a opinião deste aviário, deve contar, ou não?

Optimização de recursos

Uma família viveu durante anos nas catacumbas do Hospital de Santa Maria.
Uma empresa de transporte de doentes cobrou mais do dobro do que custou o serviço feito ao referido hospital.
Um grupo de assaltantes usou a morgue como armazém para guardar o produto dos seus roubos.
Milhares de euros em produtos clínicos comprados pelo hospital terão sido desviados para lares e clínicas privadas.
E ainda dizem que o património público esta subaproveitado.

Os Animais são nossos amigos

Mas nem todos são amigos de confiança.

O Ziggy, um belo papagaio da Amazónia(não confundir com Cucagaio, que é uma espécie única) acabou no chão, depenado e com o pescoço partido.
Isto porque era demasiado falador e não sabia guardar as conveniências.

Não é que o bicho, o autentico animal, estava constantemente a repetir “I Love You Gery” na frente do seu dono e da sua dona!

O problema é que o dono não se chamava Gerry!

Daí que, até se saber quem era o Gerry, quem dizia “I love You Gerry” e em que situações tal era dito, foi um pequeno passo.

Afinal era a Dona que levava o dito Gerry para casa e, sem pudor, gostava de fazer aquilo em frente do papagaio!

Os Animais são nossos amigos, mas só os peixinhos dourados são de confiança!

quarta-feira, janeiro 18, 2006

Malditos sejam!!!!!!!

Para onde quer que uma pessoa se volte, há sempre alguém a pedir, e não estou a falar dos pobres desgraçados que nos vem pedir esmola.
Estes nem sequer pedem, tiram e ponto final. É os bancos, seguros, familia, amigos e o ladrão mor, o Estado.
Hoje passei por uma caixa multibanco, e decidi dar uma espreitadela ao saldo, para ver se tinha para pagar tudo até ao final do mês, e qual é o meu espanto quando descubro que ao fim de tantos anos, também a Caixa Geral de Depósitos aderiu à moda das despesas de manutenção.
Sem agravo, nem apelo, lá foram € 10,00 à vida, e dinheiro que tanta falta fazia, pelo menos a mim. Apesar da crise, de ano para ano, os bancos, seguros e afins apresentam cada vez mais lucro, já se sabe porquê.
Chego a casa, mais uma novidade, tenho lá a minha espera a conta da electricidade, nada de anormal até aqui, começo a analisar a factura, foi acrescentado um último item, Taxa do audio-visual. Taxa do quê?
O que raio é o audio-visual, e poque é que estou a pagar uma taxa. Desde quando é que autorizei.
Não há por onde fugir. Malditos sejam!!!!!!!!!!

Vamos à Puta!

Os Ingleses, legalmente, não podem ir às Putas.

Só podem ir à Puta.

Isto porque a prostituição na Inglaterra só é legal se for praticada só por uma mulher e num apartamento. Se for praticada num hotel, pensão, rua, beco, metro ou afim, ou se for mais que uma mulher, tal é ilegal.

Ora os Lordes, Britânicos queixaram-se porque não podiam, legalmente participar em bacanais ou orgias. Só podiam, no máximo, legalmente participar em “ménages a trois” e se a mulher do Lorde aceitasse acompanhar o marido na sua ida.

Para inverter tal situação o Parlamento Inglês está a pensar rever a Lei da Prostituição.Assim o novo projecto lei visa introduzir os Bordeis na Inglaterra. Mas com um especificidade que a moral britânica impõe: cada Bordel só pode ter um máximo de três mulheres.

Deste modo já se vai poder ir ás Putas, num máximo de três. Já se institui, legalmente a “ménage”, mas ainda se está longe dos grandes bacanais e orgias.
Deputados o Lordes contactados por este Aviário afirmaram que a situação vai melhorar bastante e “vão poder deixar de chatear a mulher para vir comigo”.

Quem não se conforma são as Deputadas e as Lordas inglesas, que mais uma vez viram adiadas a legalização das suas idas aos “Gigolos” e montadores profissionais.

Em declarações, prestadas a este aviário disseram: E os nossos pitos? Quem legalmente vai tratar deles quando necessitamos e não temos em casa?

terça-feira, janeiro 17, 2006

Não Há Toner!!

Ultimamente tenho andado ocupado com trabalho (também aqui se tem que fazer pela vida…), que nem tenho tido tempo para visitar os nossos prezados comentaristas.

Numa das minhas deambulações, acabei hoje à tarde num tribunal.

È feita a chamada das 14h 30m, para leituras de sentença e julgamentos.
20 minutos depois é feita uma segunda chamada dos processos em causa e eis que se ouve dizer a Oficial de Justiça: "A sra. Juíza já fez as sentenças, mas como acabou o toner não as pode imprimir. As leituras de sentença ficam adiadas para o próximo dia 30 de Janeiro.”!!!!!

Vejamos as hipóteses existentes para justificar o que acabamos de ouvir:

PrimeiraA juíza é preguiçosa, ociosa e não gosta de trabalhar. Só pensa em cair na noite e não esteve para se chatear a fazer justiça. Como não tinha o trabalho feito culpou a falta de "toner", mandando todos as urtigas; (É uma hipótese que deixo à vossa consideração)

SegundaA juíza é uma gaja que ninguém gosta dela, nem colegas nem funcionários no tribunal, e ninguém naquela casa lhe arranjava um impressora com toner, para poder trabalhar. A tipa é mesmo asquerosa. (É também possível esta hipótese, ainda que o tribunal em causa tenha 9 juízos criminais, 3 secções do Ministério Publico, e uns 15 gabinetes de magistrados com mais de vinte impressoras).

Terceira A solidariedade entre os magistrados é coisa que nem se usa, e os gajos não se podem ver uns aos outros e não emprestam toner uns aos outros, confirmando o que se diz entre quem trabalha nestas coisas: "são todos um bando de invejosas". (Nova hipotese a considerar)

QuartaO nosso Portugal está mesmo todo roto, e quem se fo*** somos nós, e não havia toner não só no gabinete da juíza, como não havia na sua secção nem em nenhum outro lado do Tribunal! (Portugal pode estar mesmo assim, apesar de eu não ter visto a crise, como postei anteriormente);

Quinta Nenhuma das anteriores, mas uma outra ainda mais delirante, que não me ocorre, mas que pode ser a justificação do que se passou (aceito e rogo sugestões)!!


A vida é um circulo ou neste caso um semi-circulo. Como se começa, também se termina.

A prescrição

As Finanças já identificaram os contribuintes com dívidas em risco de prescrever este ano e querem ter os processos de penhora em marcha até 31 de Janeiro.
As vendas de bens a que haja lugar têm de estar marcadas até 31 de Março. O Fisco chama-lhe "Plano de Emergência" e visa combater a prescrição em 2006 das dívidas de 1995 que correm o risco de nunca dar entrada nos cofres do Estado, noticiou o Jornal de Negócios.

segunda-feira, janeiro 16, 2006


Para tudo há explicação. Até para o comportamento dos Alentejanos!

D. Afonso Henriques o Traidor!

O Governo tenciona fechar 900 escolas do Norte do País (entenda-se Trás Os Montes).

Se somarmos a isso a vontade que o Governo demonstra em acabar com tudo o que seja Estado Português naquelas bandas, entendemos que a sua estratégia para a Nação passa, não só, por conceder aos Espanhóis o controlo das nossas empresas estratégicas como mesmo de parte do nosso território!

O próximo passo é ensinar que Afonso Henriques foi um Traidor à Pátria!

domingo, janeiro 15, 2006

Nevou em Trás os Montes, sabia?

Estamos no Inverno.

E, como em todos os Invernos, nevou em Trás os Montes.

E como sempre, estradas ficaram bloqueadas e formaram-se grandes filas de transito.

Tal banalidade, recorrente todos os anos, foi noticia de abertura dos telejornais em quase todas as estações de T.V. desde o almoço ao jantar!

De facto, pouca merda mais se passou neste Pais, à beira mar plantado!

O que está a dar mesmo é noticiar banalidades que de coisas sérias estamos todos cheios!

quinta-feira, janeiro 12, 2006

1 2 4

Foi hoje detido um individuo pela Polícia, cuja investigação durou um ano, acusado de ter efectuado 124 assaltos a residências, em toda a região Norte.
Presente a Tribunal, o Juíz não considerou haver motivos para decretar a prisão preventiva, pelo que saiu em liberdade, e é assim, que vai aguardar julgamento.
Tudo tem o seu preço. E quando nos dedicamos a analisar bem as situações somos sempre capazes de encontrar os dois lados da moeda. Mas foram 124 assaltos. 1 2 4
A prisão preventiva não pode ser aplicada a toda e qualquer situação, não há país que a suporte nessa quantidade, nem estabelecimento prisional para tanta gente. Mas foram 124 assaltos. 1 2 4
Mas tem a sua virtude, por um lado assegura a presença do arguido em julgamento. Mas acima de tudo, confere tranquilidade à população, e uma aparência de justiça.
É claro, que há sempre enganos. Pode haver, e creio que há, individuos actualmente em prisão preventiva, que, uma vez presentes a tribunal para julgamento, irão ser absolvidos, sejam ou não inocentes. É tudo uma questão de prova. Mas foram 124 assaltos. 1 2 4
Também há ocasiões em que devemos mandar a lei às urtigas e dar um pouco de paz à população. Esta é uma dessas ocasiões. É preferível decretar a prisão preventiva e correr o risco de o indivíduo vir a ser absolvido em julgamento. Mas entretanto, a população sentiu que algo foi feita por ela, esteve por breves momentos segura.
Não creio que seja neste momento o sentimento da população onde este individuo actuava.
Afinal foram 1 2 4

Mandares em minha casa…???

A administração da Justiça, desde que existem nações, sempre foi a pedra toque do exercício de Soberania dos Estados. Daí que todos os Estados sem excepção, reservem sempre o direito de punirem os seus cidadãos por crimes cometidos dentro ou fora de portas.

Até à Segunda Guerra Mundial, o direito de um Estado punir outros cidadãos por crimes cometidos fora de suas portas, praticamente não se colocava.

Após a Segunda Guerra Mundial e as atrocidades cometidas, quer num plano das Nações (com o invadir sistemáticos de Países) quer num plano concertado de extermínio de Povos (os Judeus pelos Alemães e certas minorias Chinesas pelos Japoneses na Manchúria) chamou para primeira plano a questão das punições dos ditos Crimes contra a Humanidade.

A partir do Julgamento de Nuremberga, a criação de um tribunal internacional, com competência internacional e universal, ganhou enorme acuidade.

Porém pouco se fez na prática. E o Mundo, e a Europa, ficaram de braços Cruzados enquanto nos Balcãs Bósnios, Croatas e Sérvios, se exterminavam mutuamente.

A partir de então deu-se novo folgo ao Tribunal Penal Internacional (TPI) e vários países começaram a levar a sua soberania a limites nunca visto: Consagraram nas suas Constituições e Leis Penais o direito de os seus Tribunais julgarem pessoas de outros Países, pela prática de Crimes contra a Humanidade (mesmo que praticados fora de portas e sem vitimas nacionais).

A Bélgica tinha normas destas (normas chamadas Competência Internacional dos Tribunais) e viu que tinha, afinal, dentro de suas portas um Monstro adormecido.
Há cerca de 2 anos um grupo de cidadãos belgas processou George W. Bush por crimes contra a Humanidade, devido á sua intervenção bélica no Iraque.
Os E.U.A. (País internamente democrático, mas com perigosos tiques imperialistas e ditatoriais no Mundo) Berraram alto: “Não reconhecemos a NINGUEM o direito de julgar os nossos cidadãos (por isso não haviam aderido ao TPI) e muito menos o nosso Bush!” E Ameaçaram retirar a sede da NATO de Bruxelas.
A Bélgica pediu desculpa, revogou a sua norma e tudo acabou bem.

Actualmente só a Espanha exerce esta sua Competência Internacional de forma corajosa:
Não só anda a importunar os Ditadores Sul Americanos e os generais seus esbirros, como o seu Tribunal Constitucional reconheceu aos tribunais espanhóis o direito de investigarem o Crime de Genocídio praticado no Tibet, pela China ocupante, apesar de não existirem vitimas espanholas.

Vejamos até onde a China deixa ir esta investigação…

quarta-feira, janeiro 11, 2006

Vozes do Norte

Veio hoje a público que alguns pseudo personalidades do norte, enviaram uma petição à Assembleia da República, no sentido de submeter a referendo as grandes obras públicas como a OTA e TGV.
Pessoalmente não concordo com as referidas obras, não pelos motivos económicos que toda a gente aponta, ou pelo menos só por esses motivos. O TGV nunca, e a OTA daqui a alguns anos.
A linha do TGV entre Lisboa-Porto e Porto-Vigo, não se justifica, bastava melhorar a linha ferrea já existente, que o actuais comboios poderiam efectuar o percurso em causa em metade do tempo que hoje gastam, e isso, é mais do que suficiente.
Sendo certo que hoje já não se justifica ter um aeroporto no meio da cidade, se parte do tráfego aéreo fosse desviado para Faro ou Porto, e com a melhoria da linha ferrea, havia um melhor aproveitamento dos restantes aeroportos, ou mesmo, utilizar uma das bases militares perto de Lisboa, pelo menos para certas companhias aéreas, isso, era, o suficiente para aguentar mais algum tempo. Isto de mandar realizar estudos para justificar a escolha da OTA, só em Portugal.
Portugal é um país pequeno, mas infelizmente muito divido. Se tais obras fossem objecto de referendo, mais de metade da população votava contra. Uns, porque assim teriam a expectativa de ver parte do dinheiro chegar a sua zona, outros, porque não gostam de ver o outro lado a desenvolver-se, e ainda outros, porque simplesmente gostam de dizer não.

E a seguir à OTA e ao TGV? Vamos também referendar a ponte que tem de ser construída alí para os lados do "cú de judas", e a escola secundária aí perto de "onde Jesus perdeu as botas" também a sua construção tem de ser referendada?

Todos aqueles que tem um interesse, independentemente das suas razões, para se opôr a uma obra, também vão querer que seja referendada.
O Estado existe para servir o povo, mas infelizmente o povo, pelo menos por agora, não pode mandar no Estado. E enquanto o povo não estiver preparado para decidir, estamos sujeitos à porcaria dos representantes que escolhemos, os políticos.
Ainda não somos altruístas o suficiente para decidirmos pelo bem de todos, à excepções, mas são isso mesmo, excepções.
Por isso a ideia de referendar essas obras é bonita, mas só isso, bonita. Só realidade no País da Utopia.

terça-feira, janeiro 10, 2006

Apelo á população!

Com a Gripe das Aves a crescer na Turquia, Japão e China reiteramos um apelo que fizemos em Outubro passado, devido à potencial pandemia que pode assolar o Pais:

Quando há anos atrás surgiu o surto das Vacas Loucas, com muito pesar meu, para me proteger passei a andar só com Mulheres Sérias.

Agora com a Gripe das Aves deixo este conselho: Pitos e Frangas, somente limpas e conhecidas.

Divulgue isto pelos seus familiares e amigos.

Apelo á população!

Um Alambique na Cadeia

Sabia que nas nossas cadeias:

Além das celas para um ou dois reclusos (cerca de 15m2) há camaratas para 8 a 12 reclusos com mais de 40m2?

Sabia que nessas celas os presos montam fogões (!) e cozinham aí as suas refeições?

Que nessas celas se montam autênticos laboratórios de produção, “traçamento” embalagem de droga?

Sabia que nessas celas, há autenticas oficinas de montagem e desmontagem de telemóveis?

Sabia que nessas celas faz-se de tudo a todos e nunca se sabe de nada?

Como é que isso é possível?

Eu deixo umas dicas:

Sabia que os Guardas Prisionais, por obvias razões de segurança, não podem andar armados nas zonas de detenção da cadeia?

Sabia que, foras situações de buscas, os guardas prisionais não entram e têm medo de entrar nessas celas de mais de 8 reclusos,

Sabia que podem se passar meses sem que uma cela seja objecto de uma busca?

Sabia que são efectuadas buscas ás celas e revistas aos presos, periodicamente e/ou de surpresa, mas que quem tiver bons contactos sabe de tudo antes de se darem essas buscas e revistas?

Sabia que, entre outros, há guardas prisionais que “metem” droga dentro das cadeias, e avisam os seus distribuidores das ditas revistas ou buscas que vão ser efectuadas, muitas das vezes por eles próprios?

Bem, agora que sabe tudo isso ainda fica muito surpreendido por se ter encontrado um alambique dentro de uma cela numa cadeia portuguesa?

Diário de uma mulher insatisfeita

DIA 1
Celebrámos hoje o 25º Aniversário de Casamento.
Tentámos reviver a nossa lua-de-mel, mas... ele não conseguiu...

DIA 2
Hoje ele contou-me o seu grande segredo:
Está impotente! Grande novidade...Ele realmente pensa que eu ainda nãosabia...

DIA 3
Este casamento vai mal...Uma mulher tem as suas necessidades...

DIA 4
Estou entusiasmada...Li no jornal, que há uma nova droga no mercado, que pode resolver o nosso problema. Chama-se Viagra.
Ele vai substituir o Prozac pelo Viagra, na esperança que levante algomais, do que só o entusiasmo...

DIA 5
Uma benção dos céus!!!

DIA 6
A vida é maravilhosa!!!

DIA 7
Tenho de confessar: O Viagra tem sido muito bom!!!
Nunca fui tão feliz!!!

DIA 8
Acho que ele exagerou na dose de Viagra neste fim de semana...
Já começei a ficar um pouco dorida nas partes baixas...

DIA 9
Não tenho tempo para escrever... Ele pode-me apanhar.

DIA 10
Ok, admito, estou escondida!
É que não há mulher que aguente tanto!!!
O que hei-de fazer? Estou toda moída...

DIA 11
EU JÁ NÃO AGUENTO MAIS!!!
É o mesmo que ir para a cama com uma Black&Decker!
Acordei, esta manhã, colada à cama!!!

DIA 12
Quem me dera que ele fosse paneleiro.
Deixei de me maquilhar tomar banho, escovar os dentes...
Mas, mesmo assim, ele vem atrás de mim.
Até bocejar se transformou num perigo!

DIA 13
Cada vez que fecho os olhos, lá vem mais um ataque...
Vivo com um míssil Scud! Já mal consigo andar..

DIA 14
Já fiz de tudo para ele me deixar em paz, mas não adianta...
Até já me vesti de freira, mas ainda foi pior...Socorro!!!

DIA 15
Vou acabar por matá-lo...
São umas dores infernais quando me sento...
O cão e o gato fogem dele e os amigos...nem se atrevem a aparecer em casa!

DIA 16
Hoje, sugeri-lhe que largasse o Viagra e voltasse a tomar o Prozac...
Ele quase me bateu!!!

DIA 17
Coloquei Prozac na caixa de Viagra, mas parece que não fez efeito...
Lá vem ele outra vez!!!

DIA 18
O Prozac começou finalmente a fazer efeito!
Meu marido passa agora, o dia inteiro sentado em frente da TV, com ocontrolo remoto na mão, à espera de que eu lhe faça tudo...
Ah! Que vida calma e maravilhosa...

Desarrollo - Portgual

Lejos de Europa

Mario de Queiroz

LISBOA, 21 sep (IPS) - Indicadores económicos y sociales periódicamente divulgados por la Unión Europea (UE) colocan a Portugal en niveles de pobreza e injusticia social inadmisibles para un país que integra desde 1986 el ”club de los ricos” del continente. Pero el golpe de gracia lo dio la evaluación de la Organización para la Cooperación y el Desarrollo Económicos (OCDE): en los próximos años Portugal se distanciará aún más de los países avanzados.
La productividad más baja de la UE, la escasa innovación y vitalidad del sector empresarial, educación y formación profesional deficientes, mal uso de fondos públicos, con gastos excesivos y resultados magros son los datos señalados por el informe anual sobre Portugal de la OCDE, que reúne a 30 países industriales.
A diferencia de España, Grecia e Irlanda (que hicieron también parte del ”grupo de los pobres” de la UE), Portugal no supo aprovechar para su desarrollo los cuantiosos fondos comunitarios que fluyeron sin cesar desde Bruselas durante casi dos décadas, coinciden analistas políticos y económicos.
En 1986, Madrid y Lisboa ingresaron a la entonces Comunidad Económica Europea con índices similares de desarrollo relativo, y sólo una década atrás, Portugal ocupaba un lugar superior al de Grecia e Irlanda en el ranking de la UE. Pero en 2001, fue cómodamente superado por esos dos países, mientras España ya se ubica a poca distancia del promedio del bloque. ”La convergencia de la economía portuguesa con las más avanzadas de la OCE pareció detenerse en los últimos años, dejando una brecha significativa en los ingresos por persona”, afirma la organización.
En el sector privado, ”los bienes de capital no siempre se utilizan o se ubican con eficacia y las nuevas tecnologías no son rápidamente adoptadas”, afirma la OCDE. ”La fuerza laboral portuguesa cuenta con menos educación formal que los trabajadores de otros países de la UE, inclusive los de los nuevos miembros de Europa central y oriental”, señala el documento.
Todos los análisis sobre las cifras invertidas coinciden en que el problema central no está en los montos, sino en los métodos para distribuirlos. Portugal gasta más que la gran mayoría de los países de la UE en remuneración de empleados públicos respecto de su producto interno bruto, pero no logra mejorar significativamente la calidad y eficiencia de los servicios.
Con más profesores por cantidad de alumnos que la mayor parte de los miembros de la OCDE, tampoco consigue dar una educación y formación profesional competitivas con el resto de los países industrializados. En los últimos 18 años, Portugal fue el país que recibió más beneficios por habitante en asistencia comunitaria. Sin embargo, tras nueve años de acercarse a los niveles de la UE, en 1995 comenzó a caer y las perspectivas hoy indican mayor distancia.
¿Dónde fueron a parar los fondos comunitarios?, es la pregunta insistente en debates televisados y en columnas de opinión de los principales periódicos del país. La respuesta más frecuente es que el dinero engordó la billetera de quienes ya tenían más. Los números indican que Portugal es el país de la UE con mayor desigualdad social y con los salarios mínimos y medios más bajos del bloque, al menos hasta el 1 de mayo, cuando éste se amplió de 15 a 25 naciones.
También es el país del bloque en el que los administradores de empresas públicas tienen los sueldos más altos. El argumento más frecuente de los ejecutivos indica que ”el mercado decide los salarios”. Consultado por IPS, el ex ministro de Obras Públicas (1995-2002) y actual diputado socialista João Cravinho desmintió esta teoría. ”Son los propios administradores quienes fijan sus salarios, cargando las culpas al mercado”, dijo. En las empresas privadas con participación estatal o en las estatales con accionistas minoritarios privados, ”los ejecutivos fijan sus sueldos astronómicos (algunos llegan a los 90.000 dólares mensuales, incluyendo bonos y regalías) con la complicidad de los accionistas de referencia”, explicó Cravinho.
Estos mismos grandes accionistas, ”son a la vez altos ejecutivos, y todo este sistema, en el fondo, es en desmedro del pequeño accionista, que ve como una gruesa tajada de los lucros va a parar a cuentas bancarias de los directivos”, lamentó el ex ministro. La crisis económica que estancó el crecimiento portugués en los últimos dos años ”está siendo pagada por las clases menos favorecidas”, dijo.
Esta situación de desigualdad aflora cada día con los ejemplos más variados. El último es el de la crisis del sector automotriz. Los comerciantes se quejan de una caída de casi 20 por ciento en las ventas de automóviles de baja cilindrada, con precios de entre 15.000 y 20.000 dólares. Pero los representantes de marcas de lujo como Ferrari, Porsche, Lamborghini, Maserati y Lotus (vehículos que valen más de 200.000 dólares), lamentan no dar abasto a todos los pedidos, ante un aumento de 36 por ciento en la demanda. Estudios sobre la tradicional industria textil lusa, que fue una de las más modernas y de más calidad del mundo, demuestran su estancamiento, pues sus empresarios no realizaron los necesarios ajustes para actualizarla.
Pero la zona norte donde se concentra el sector textil, tiene más autos Ferrari por metro cuadrado que Italia. Un ejecutivo español de la informática, Javier Felipe, dijo a IPS que según su experiencia con empresarios portugueses, éstos ”están más interesados en la imagen que proyectan que en el resultado de su trabajo”.
Para muchos ”es más importante el automóvil que conducen, el tipo de tarjeta de crédito que pueden lucir al pagar una cuenta o el modelo del teléfono celular, que la eficiencia de su gestión”, dijo Felipe, aclarando que hay excepciones. ”Todo esto va modelando una mentalidad que, a fin de cuentas, afecta al desarrollo de un país”, opinó. La evasión fiscal impune es otro aspecto que ha castrado inversiones del sector público con potenciales efectos positivos en la superación de la crisis económica y el desempleo, que este año llegó a 7,3 por ciento de la población económicamente activa. Los únicos contribuyentes a cabalidad de las arcas del Estado son los trabajadores contratados, que descuentan en la fuente laboral.
En los últimos dos años, el gobierno decidió cargar la mano fiscal sobre esas cabezas, manteniendo situaciones ”obscenas” y ”escandalosas”, según el economista y comentarista de televisión Antonio Pérez Metello. ”En lugar de anunciar progresos en la recuperación de los impuestos de aquellos que continúan riéndose en la cara del fisco, el gobierno (conservador) decide sacar una tajada aun mayor de esos que ya pagan lo que es debido, y deja incólume la nebulosa de los fugitivos fiscales, sin coherencia ideológica, sin visión de futuro”, criticó Metello.
La prueba está explicada en una columna de opinión de José Vitor Malheiros, aparecida este martes en el diario Público de Lisboa, que fustiga la falta de honestidad en la declaración de impuestos de los llamados profesionales liberales. Según esos documentos entregados al fisco, médicos y dentistas declararon ingresos anuales promedio de 17.680 euros (21.750 dólares), los abogados de 10.864 (13.365 dólares), los arquitectos de 9.277 (11.410 dólares) y los ingenieros de 8.382 (10.310 dólares). Estos números indican que por cada seis euros que pagan al fisco, ”le roban nueve a la comunidad”, pues estos profesionales no dependientes deberían contribuir con 15 por ciento del total del impuesto al ingreso por trabajo singular y sólo tributan seis por ciento, dijo Malheiros.
Con la devolución de impuestos al cerrar un ejercicio fiscal, éstos ”roban más de lo que pagan, como si un carnicero nos vendiese 400 gramos de bife y nos hiciese pagar un kilogramo, y existen 180.000 de estos profesionales liberales que, en promedio, nos roban 600 gramos por kilo”, comentó con sarcasmo. Si un país ”permite que un profesional liberal con dos casas y dos automóviles de lujo declare ingresos de 600 euros (738 dólares) por mes, año tras año, sin ser cuestionado en lo más mínimo por el fisco, y encima recibe un subsidio del Estado para ayudar a pagar el colegio privado de sus hijos, significa que el sistema no tiene ninguna moralidad”, sentenció. (FIN/2004)

segunda-feira, janeiro 09, 2006

Há limites ao direito à Greve?

Em finais de Novembro, ou princípios de Dezembro de 2005, enquanto os professores estavam numa grande manifestação em Lisboa, o Governo tornou publico um relatório onde era criticado o absentismo às aulas dos mesmos professores.
Foi o fim do mundo. Não houve organização sindical, nomeadamente, as ligadas ao ensino, que não criticasse a atitude do Governo. Não criticaram o relatório em si, mas sim, o momento em que o mesmo havia sido tornado público.
Não critico o direito à greve. É, na minha opinião, um direito essencial dos trabalhadores. E obviamente, na marcação dos dias de greve, deve ser considerado aqueles que mais prejudicam a entidade patronal, ou quando não prejudicam, pelo menos mais afectam a imagem da entidade patronal. Só assim, o direito à greve tem algum impacto.
Por isso, não aceito, mas compreendo, que os sindicatos dos professores tenham marcado para os mesmos dias da realização dos exames nacionais, os seus dias de greve (Julho de 2005).
Prejudicou mais os alunos e respectivas famílias do que o Governo, mas o impacto na comunicação social foi tremendo.
Mas ao fazer isso, os sindicatos abrem a porta a que a outra parte, a entidade patronal, neste caso o Estado, venha usar da mesma técnica, ou seja, aproveitar a comunicação social para fazer estragos na luta dos professores, daí a publicação do relatório no dia da manifestação.
Por que, falar disto agora? É hoje notícia a greve dos funcionários de uma das empresas que faz a travessia marítima do Rio Tejo. Curiosamente, ou talvez não, a referida greve só ocorre em determinadas horas do dia – as chamadas horas de ponta.
Não sei se haverá resposta da entidade patronal. Mas não fiquem os sindicatos, e os trabalhadores ofendidos se a empresa responder na mesma moeda. Este é um jogo que ambas às partes podem jogar, apenas é preciso saber jogar.
E que ganhe o melhor.

Em favor dos necessitados

APESAR de ter apenas 50 anos de idade e de gozar de plena saúde, o socialista Vasco Franco, número dois do PS na Câmara de Lisboa durante as presidências de Jorge Sampaio e de João Soares, está já reformado.

A pensão mensal que lhe foi atribuída ascende a 3.035 euros (608 contos), um valor bastante acima do seu vencimento como vereador.

A generosidade estatal decorre da categoria com que foi aposentado - técnico superior de 1ª classe, segundo o «Diário da República» - apesar de as suas habilitações literárias se ficarem pelo antigo Curso Geral do Comércio, equivalente ao actual 9º ano de escolaridade.

A contagem do tempo de serviço de Vasco Franco é outro privilégio raro, num país que pondera elevar a idade de reforma para os 68 anos, para evitar a ruptura da Segurança Social.
O dirigente socialista entrou para os quadros do Ministério da Administração Interna em 1972, e dos 30 anos passados só ali cumpriu sete de dedicação exclusiva; três foram para o serviço militar e os restantes 20 na vereação da Câmara de Lisboa, doze dos quais a tempo inteiro. Vasco Franco diz que é tudo legal e que a lei o autoriza a contar a dobrar 10 dos 12 anos como vereador a tempo inteiro.

Triplicar o salário. Já depois de ter entregue o pedido de reforma, Vasco Franco foi convidado para administrador da Sanest, com um ordenado líquido de 4000 euros mensais (800 contos). Trata-se de uma sociedade de capitais públicos, comparticipada pelas Câmaras da Amadora, Cascais, Oeiras e Sintra e pela empresa Águas de Portugal, que gere o sistema de saneamento da Costa do Estoril. O convite partiu do reeleito presidente da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, cuja mulher é secretária de Vasco Franco na Câmara de Lisboa. O contrato, iniciado em Abril, vigora por um período de 18 meses.A acumulação de vencimentos foi autorizada pelo Governo mas, nos termos do acordo, o salário de administrador é reduzido em 50% - para 2000 euros - a partir de Julho, mês em que se inicia a reforma, disse ao EXPRESSO Vasco Franco.

Não se ficam, no entanto, por aqui os contributos da fazenda pública para o bolo salarial do dirigente socialista reformado. A somar aos mais de 5000 euros da reforma e do lugar de administrador, Vasco Franco recebe ainda mais 900 euros de outra reforma, por ter sido ferido em combate em Moçambique já depois do 25 de Abril (????????), e cerca de 250 euros em senhas de presença pela actuação como vereador sem pelouro.

domingo, janeiro 08, 2006

Abriu a Caça

Abriu hoje, oficialmente as 00h00m, a caça aos votos.

Durante duas semanas todos somos potenciais alvos de seis caçadores que não servem para nada!

sábado, janeiro 07, 2006

Blog das Aves Gripadas

Blog das Aves Gripadas

sexta-feira, janeiro 06, 2006

Soma e segue a Justiça em Portugal

Há pelo menos dez reclusos condenados por homicídio, entre os quais um arguido preso por cinco mortes, entre os 56 indultados pelo Presidente da República em Dezembro. Tráfico de estupefacientes, furto e fraude fiscal são outros dos crimes praticados por pessoas que receberam agora o perdão de Jorge Sampaio. Um deles foi concedido a uma jovem que já não está presa desde 2003 e que entretanto foi alvo de mandado de captura.

C’est la Vie!

Estás mal.

Entras num hospital com necessidade de uma transfusão de sangue.

Sais Sidoso porque te infectaram com a dita transfusão.

Reclamas.

O Estado não assume as suas responsabilidades.

Pões o Estado em Tribunal, a pensar fazer justiça.

A justiça que tens é que o Tribunal, sendo um órgão de soberania desse mesmo estado, auto absolve-se, não assumindo qualquer responsabilidade.

De recurso em recurso a tentares fazer valer os teus direitos, passam-se 18 anos, morres e tudo se confirma:

O facto de teres apanhado Sida por culpa exclusiva do Estado, não responsabiliza este minimamente, (argumentos científicos que na altura não se podia saber se o sangue estava contaminado ou não).
Nem através da chamada Responsabilidade pelo Risco, figura onde aquele que beneficia com a sua actividade, mesmo sem culpa deve indemnizar aqueles que lesou, com a obtenção dos ditos benefícios (tu pagas os serviços hospitalares, nem que seja com os teus impostos)

È por isso que, mesmo com carros a arder, a França é sempre a França (foi primeiro Pais, e há mais de 15 anos a indemnizar os seus cidadãos e a condenar os seus políticos em casos semelhantes!).

Par ici, au Portugal, c’est la Vie!

quinta-feira, janeiro 05, 2006

A última ceia


E se eles se reunissem todos numa última ceia, o que é que farias?

Cuidado!!! Ele está de volta.

As nossas férias acabaram, o PM de Portugal foi visto em actos de carácter público esta semana, isso significa que está de volta a actividade.

O futuro é sombrio, e devemos temer as novidades, que certamente acompanham este regresso.

A Conspiração Socrática

Começa a ser perturbador, a forma como os comentadores de esquerda e os candidatos presidenciais de esquerda analisam, teorizam e perspectivam uma eventual vitória de Cavaco.

De passagem num debate na R.R., ouvi novamente que o perigo reside no facto de Sócrates e Cavaco serem tão iguais que, se este último ganhar, corre-se o risco de “um dizer mata e o outro esfola”!

É impressionante ouvir a esquerda e vozes do P.S., alegarem que o perigo é que Cavaco é mais próximo de Sócrates, que o próprio candidato socialista.

Face a isto fui forçado a reescrever a minha conspiração.

Há semanas postei que os candidatos de esquerda, ao não abandonarem a corrida, corriam não para a derrota de Soares, mas antes corriam contra Sócrates e para a sua derrota.

Bem, agora começo a pensar que se alguém soube fazer as coisas, foi Sócrates.

Sendo ele e Cavaco, como dizem, tão iguais, concluo que a escolha feita por Sócrates de Soares para candidato teve como único fito garantir a vitória daquele com quem ele gostaria de trabalhar nos próximos anos: O Senhor Professor Cavaco.

E a coisa foi tão bem feita que nem o Soares deu conta disso!

Só a candidatura de Alegre não estava nos planos!

quarta-feira, janeiro 04, 2006

Temos candidato

Numa entrevista recente, Garcia Pereira afirmou não ter dúvidas, caso seja eleito, demite José Socrates.

O meu voto é teu camarada revolucionário.

terça-feira, janeiro 03, 2006

Sem palavras

The American Freedom

A crueza dos números faz tremer as convicções dos mais “democratas”: No Iraque, desde a queda do regime de Saddam, morrem por dia 20 pessoas, entre civis e militares!

Terá valido a pena, para tal Nação, livrar-se de um Ditador sanguinário, e cair na Democracia Anárquica, também ela sanguinária?

Ladrão que rouba a Ladrão…

O Governo quer impor ao, sector da restauração, a obrigatoriedade de emitirem facturas em todas as vendas superiores a 9,98 €.

O sector da restauração, habituado desde sempre a roubar o Estado, ficou descontente e os jornais falam mesmo do seu desconforto com tal medida. Não obstante o Governo mantém-se inflexível: as facturas são para serem passadas, senão fiscalização e multa para com eles.

Pessoalmente compreendo, quer a medida do Governo quer o desconforto dos gajos dos comes e bebes.
Daí que lhes deixo este provérbio: Ladrão que rouba a ladrão tem 100 anos de perdão.

E vá-se lá saber quem foi o ladrão roubado!

segunda-feira, janeiro 02, 2006

Ano Novo Fogos Novos

Dos fogos de artificio mais espectaculares que o Ano Novo teve, a França bateu, novamente, tudo e todos, aos pontos!
Foram mais de 400 carrinhos que arderam!
Que espectáculo!

A Gravata do Presidente

O Melhor do discurso do Sr. Presidente Sampaio (que não faço a minima do seu conteudo) foi a sua longa gravata a cair-lhe nas partes baixas!
Que moda! Que categoria!

A Gaja foi para o Brasil...

Como Portuguesinho que sente a crise que atravessamos, pus a Maria e o cachopo na carripana e fui passar o Revellion fora de casa.

Mal sai da cidade, havia gajos e gajas nas estradas, a andar de carro e jipes, cheios de matriculas novas, com as letras no meio.

Entre bichas nas auto-estradas, os pára/arranca, o frio e os insultos ao tipo que anda a armar-se em Fangio e quer me ultrapassar, via-se de tudo!

Só não vi foi a Crise.

Procurei por ela nas estradas, mas eram tantos os carros que não a consegui ver.
Com a alta dos combustíveis, pensei que devia estar nas bombas de gasolina. Mas longos minutos de espera e filas de carros para abastecer também não me deixaram vê-la.
Então decidi procurar a crise nos restaurantes e comes e bebes. Mas cansei-me de o fazer após esperar uma hora para ter mesa num restaurante.
Disse cá para mim, vou te encontrar no Revellion, lugar onde toda malta vai.
Aí, a única crise que senti foi estar com a patroa e o cachopo ao lado, no meio de tanta gaja boa e tanto rabinho firme com fio dental ou asa delta! (Ao menos consolei as vistas!)

Porém, a crise que se diz passar, não a encontrei.

Certamente a gaja foi uma das que foi para o Brasil, esgotar os hotéis só para ficar longe da Pátria e não sentir este ambiente deprimente.!!!!!

eXTReMe Tracker